Enviar ArtigoGostou do nosso site? Então contribua com um artigo!

Vergonhosas fraudes no SNS – Médico trabalhou apenas 24 horas, em 30 dias??

Resumo do video: A localidade escolhida pelos jornalistas e investigadores, foi Cristelo, para exemplificar a vergonha que se passa por todo o país. Um verdadeiro ataque aos utentes e ao SNS.

É INCRÍVEL. MÉDICOS DIFICULTAM A VIDA AOS DOENTES PARA ESTE DESISTIREM DO SNS E IREM ÁS SUAS CLÍNICAS PRIVADAS.

Inacreditável como a justiça é branda. Médicos fazem chantagem com os doentes, extorsão, abuso, e nada os detém?

Eis as situações detectadas no Centro de Saúde de Cristelo:
– Limitação intencional do número diário de consultas que força os utentes a formar filas de espera de madrugada para obter vaga.
– Com a incapacidade de obtenção de consultas os utentes são desviados para um dos dois consultórios privados, situados a 100 e 300 metros de distância e detidos por médicos do Centro de Saúde.
– Falsificação de consultas pelos médicos com intuito de obter tempo livre para terem tempo para atender nos consultórios privados. A maioria destas consultas falsas registam falta de presença do utente (repetidos casos no sistema informático de consultas para as 15 horas já tinham falta de presença às 11 horas), havendo ainda casos de outras consultas onde foi confirmada a presença mas desmentidas pelos utentes, que nunca foram a essas consultas. Inventam consultas para dezenas de doentes que desmentem ter estado ou marcado as consultas.
-Consultas de doentes crónicos para prescrição de medicação que não requer presença dos doentes acamados. Há ainda um caso de uma consulta de um utente que se encontrava internado e imobilizado num Hospital.
– Discrepância de tratamento dos mesmos médicos com casos de baixas médicas só prescritas nos consultórios privados, uma forma de chantagem.
– Segundo a TVI que já estendeu esta investigação a outras zonas do país, esta prática de consultas falsas e pressão sobre os utentes, é comum a mais centros de saúde do país.

No Hospital Pedro Hispano:
– Falsificação de diagnósticos em doentes inscritos na lista de espera para procedimentos cirúrgicos de que não necessitavam. Desta forma aumentam as listas de espera para desespero dos doentes, que terão de recorrer ao privado e alivio dos médicos que não têm tanto serviço no SNS, graças a cirurgias fantasma.
– Inscrições com prioridades falsas que diminuem a capacidade de resposta em tempo útil do Hospital, provocando a transferência de doentes para os privados.
– Antecipação de intervenções que só poderiam ter sido detectadas no bloco operatório.
– Manipulação de escalas de serviço. Há o caso de um médico que trabalhou 24 horas durante 30 dias, sendo prática entre médicos a conivência de ausências de serviço para trabalhar no privado, sem informação aos superiores e descurando as regras oficiais do número mínimo de especialistas nas urgências. Ou sejam colocam em risco os doentes da cirurgia, pois não cumprem os mínimos de numero de pessoal, para poderem escapar para o privado, na hora de serviço.
– Na reportagem foi possível estar numa consulta num consultório privado enquanto o Hospital dava informação de que o mesmo médico se encontrava em serviço no hospital público. Perante a insistência no Hospital, o médico acabou por ser contactado durante a consulta.
– E surpreendemos um cirurgião a dar consultas privadas durante o horário na urgência de um grande hospital público.
– As três primeiras situações foram identificadas pela Directora de Serviço de Cirurgia Geral. A confrontação levou três médicos a pedirem licença sem vencimento, sendo que após esta saída o Hospital deixou de encaminhar doentes para os privados.
– Nesta grande reportagem, é possível vermos documentos falsificados com diagnósticos, horários médicos e registos de consultas e o testemunho de dezenas de doentes que desmentem o que os médicos escreveram em documentos oficiais do próprio SNS.

A Directora acabou por ser destituída do cargo.

Pena as penas serem tão leves para crimes tão pesados. Médicos que lesam e arriscam a vida de doentes. Médicos que conspiram contra o interesse nacional retirando benefícios privados por lesarem o SNS e o país e no entanto ninguém foi punido??

Oitenta médicos foram constituídos arguidos no âmbito de uma investigação por práticas de corrupção relacionadas com a prescrição de aparelhos complementares de terapêutica e que totalizam 400 mil euros, indicou hoje a PJ em comunicado.

Segundo a Polícia Judiciária, as práticas de corrupção dos médicos prendem-se com o recebimento de contrapartidas em dinheiro, viagens de férias e bens de consumo oferecidos por três laboratórios médicos, para prescreverem aparelhos médicos de determinadas marcas representadas por estas empresas.

“Essas ofertas eram calculadas pela quantidade de prescrições efectuadas pelos médicos”, refere a PJ, precisando que a investigação incidiu sobre o período de 2007 a 2012 e que os valores apurados ultrapassam os 400 mil euros.
Além dos médicos, também foram constituídos arguidos os representantes das empresas, adianta a PJ.

A investigação, que teve a colaboração do Ministério da Saúde, esteve a cargo a Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da PJ, num inquérito dirigido pelo Ministério Público.

Prescreviam aparelhos auditivos em troca de estadias em resorts estes profissionais da Saúde receitavam aparelhos auditivos em troca de dinheiro, frigoríficos e estadias em resorts, escreve hoje o Diário de Notícias.

Existem 245 casos de fraude no SNS sob investigação que lesaram o Estado em 229 milhões de euros. Médicos e farmácias são responsáveis por 197 milhões em prejuízos.

Médicos e farmácias envolvidos em esquemas de fraude são responsáveis por 86% da fraude detectada no Serviço Nacional de Saúde (SNS). São 197 milhões de euros de prejuízo para os cofres do Estado em apenas 15 meses. No total, entre Setembro de 2012 e Dezembro de 2013, a fraude detectada na Saúde lesou o SNS em 229 milhões de euros.

O mesmo será dizer que todos os meses o SNS é lesado em 15,2 milhões de euros. Balanço dos casos suspeitos desde Setembro de 2012 até ao final de 2013.

Tudo serve para tentar enganar o Estado. Falsos médicos (o relatório revela aqui o exercício fraudulento de medicina em Clínicas de Loures, Alcoitão, Almancil e Buraca), desvios de fundos (numa unidade hospitalar de Lisboa), aquisições fraudulentas de equipamentos em unidades de saúde, apropriação para fins ilícitos das bases de dados de nomes de utentes e de prescritores fazem parte da lista de expedientes das fraudes detectadas.

Somam-se outros como a exportação ilegal de medicamentos e esquemas de compras e vendas fictícias de remédios com falsificação de receitas médicas, com prescrição e aviamento fraudulento em farmácias de medicamentos comparticipados (a 100% até Outubro de 2010 e posteriormente a 95%). As fraudes de comparticipações, segundo o relatório, abrangem medicamentos do foro psiquiátrico (antipsicóticos e para a esquizofrenia). Esses remédios não se destinaram aos utentes identificados no receituário e tiveram outro fim, como a sua reintrodução no circuito comercial e exportação para mercados onde são mais caros (Norte da Europa).

O relatório destaca ainda que foram identificadas novas áreas de risco: empreitadas de obras públicas na saúde, cuidados continuados, equipamentos não utilizados, bem como deficiente ou inexistência de imputação de custos de dispositivos médicos e medicamentos às companhias de seguros, a que se junta a não cobrança de taxas moderadoras.

As penas leves… continuem que o crime compensa.

O Ministério de Saúde e a Inspecção-Geral das Actividades em Saúde (IGAS), veio publicamente e em jeito de resposta à reportagem da TVI sobre o desvio de doentes, anunciar que houve já uma pena de demissão, duas penas de multa, uma suspensão e uma repreensão a profissionais do SNS como resultado dos processos disciplinares instaurados por desvio de doentes.

– É PRECISO SER A TV FAZER O TRABALHO DAS DEZENAS DE ORGANISMOS DO ESTADO, PAGOS PARA O FAZER?
– E APENAS DEPOIS DE SE DIVULGAR ESTE VIDEO É QUE AS ENTIDADES RESPONSÁVEIS FORAM INVESTIGAR O CASO?
– E APENAS INVESTIGAM OS CASOS DENUNCIADOS NA REPORTAGEM, QUANDO TODOS SABEMOS QUE ESTES PROCEDIMENTOS FRAUDULENTOS SE PASSAM POR TODO O PAÍS?

Comentar este artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *