Enviar ArtigoGostou do nosso site? Então contribua com um artigo!

Segurança Social é campeã nas queixas dos consumidores

A plataforma Portal da Queixa, que acolhe as reclamações dos consumidores online, contou com 4.133 reclamações em 2016 relativas a serviços públicos, um aumento de 168%.

O Portal da Queixa contabilizou, em 2016, 4.133 reclamações dirigidas a serviços públicos, um aumento de 168% face a 2015, segundo adiantou a plataforma em comunicado.

Entre as instituições que mais queixas motivam está a Segurança Social “que atinge um recorde de 1.089 este ano, sendo seguida pelo Centro Nacional de Pensões com 359 e a Autoridade Tributária e Aduaneira com 350”, referiu o Portal da Queixa. “Depois seguem-se a Alfândega de Lisboa com 270 e o Ministério da Educação e da Ciência com 157 reclamações registadas. Por fim, e com igual relevância, o IEFP com 98 e o IMT e a ADSE com valores muito próximos”, adiantou a plataforma.

Quanto às razões, o Portal da Queixa detalha que o “maior número de reclamações dos cidadãos é relativo a mau serviço prestado, atendimento, atraso de respostas, enganos e até ao serviço de apoio ao cidadão”. Além disso, segundo o mesmo comunicado, há outras questões que motivam queixas, como “a situação das declarações de IRS encalhadas, a espera para a recepção do subsídio parental e os atrasos nos reembolsos por parte da ADSE”.

Entre as entidades que melhor respondem, a que mais se destaca pela positiva é o Ministério da Educação e da Ciência com o “índice de satisfação mais alto (76,8 /100) no final do mês de Novembro, que resulta da capacidade de resposta e solução que a entidade teve no Portal da Queixa”. Segue-se o Centro Nacional de Pensões (76,5) a Caixa Geral de Aposentações (74.7), a ADSE (61,5) e a Segurança Social (55.0).

O Portal da Queixa está a levar a cabo, em parceria com a Netquest, “um estudo acerca dos níveis de qualidade, relativos aos serviços prestados pelas entidades públicas em Portugal, na sequência do inquérito que está a ser colocado à disposição de todos os utilizadores da plataforma”.

A plataforma foi lançada em 2009 e já recebeu mais de 50.000 reclamações. O projecto está em fase de internacionalização “para outros mercados europeus. Espanha será o primeiro mercado”, segundo o mesmo documento.

Comentar este artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *