Enviar ArtigoGostou do nosso site? Então contribua com um artigo!

Ricardo Rodrigues mais uma prova de que os corruptos estão em franca expansão, graças ao apoio dos portugueses

Deputado rouba gravadores dos jornalista, o PS sempre no auge da defesa dos valores da democracia deles. Roubar praticar a corrupção e censurar quem denuncia.

Os portugueses elegeram o moço de recados de Isaltino Morais, aquele que dará continuidade ao seu percurso de crimes, que todos conhecemos… ou deveríamos conhecer.

É um hábito perigoso este dos portugueses elegerem criminosos, incompetentes e desonestos, um hábito que todos estamos a pagar caro. São muitos os casos… desde o PR, ao PM e o ex-PM, passando pelo Portas… etc, etc, com rasto sujo na justiça.

Mas os portugueses exibiram também a sua ignorância e a sua incapacidade de serem justos ao elegerem mais um candidato exemplar, com um rasto na justiça, que não lembra nem ao diabo.

Como podem os portugueses queixar-se da justiça, ou exigir justiça, se eles próprios são incapazes de distinguir o que é justo e o que é injusto? Quem é honesto e quem não o é?

E assim os corruptos, a (in)justiça os larápios e outros desonestos, receberam a clara mensagem dos portugueses. Os eleitores assumiram que gostam de ser geridos por corruptos e larápios? É isto que queremos transmitir?

Os portugueses são burros, podemos continuar o saque?
Os portugueses gostam de ladrões, tragam mais para a politica?
Os portugueses andam a dormir, vamos roubar um pouco mais?
E eis mais um… com um final feliz…
“Ricardo Rodrigues eleito em Vila Franca do Campo” fonte

Agora expliquem-me como é que este personagem, Ricardo Rodrigues, pode ser deputado? Como pode ser eleito?

O jornalista da SIC Estevão Gago da Câmara escreveu no “Açoriano Oriental”, quando o agora conhecido deputado integrou as listas do PS para o parlamento nacional, que este se envolvera “com um gang internacional”.

A verdade é que o deputado a quem os socialistas deram a pasta do combate à corrupção nos debates parlamentares recorreu aos tribunais para que o jornalista desse o dito por não dito.

A justiça deu duas vezes razão a Gago da Câmara. Porquê? O juiz de instrução concluiu que a acusação de que Rodrigues se envolvera “com um gang internacional” tinha sustentação: “Ao mesmo tempo que [Débora Raposo, professora do ensino básico para a qual Rodrigues trabalhava] se apresentava ao assistente na “humilde condição” de professora do Ensino Básico, e em vias de aposentação, mantinha uma suite e um escritório no hotel (…), contactos com pessoas alegadamente proeminentes na finança mundial (entre eles um tal Z, que prestava “serviços financeiros” a partir de Miami, e um Cardeal [sic] Ortodoxo, responsável de uma sociedade financeira)”. A Relação corroborou a sentença da primeira instância, notando que o artigo de opinião contribuiu para “a formação” de “juízo crítico”.

“Em corrupção o PS não aceita lições de ninguém…”

A sua sustentação como porta-voz do PS para questões ligadas à corrupção, nomeadamente em relação aos offshores que tão bem conhece, leva-me a desconfiar que se trata de uma escolha tecnocrática: o homem é sem dúvida um especialista, e estava fora de causa ter-lhe atribuído o ministério da Agricultura, como chegou a ser boatado. Aguarda serenamente por uma vaga na Justiça, ou mesmo nas Finanças.

(Ao minuto 5 deste video Ricardo Rodrigues mais uma vez tenta silenciar quem denuncia a corrupção)

Comentar este artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *