Enviar ArtigoGostou do nosso site? Então contribua com um artigo!

Portugueses trocaram a lealdade ao país pela lealdade aos partidos.

Há décadas que vivemos tempos muito difíceis mas continuamos a fingir que desconhecemos a causa e que não temos poder para dar inicio ás mudanças necessárias.

Milhões de portugueses perderam os laços fundamentais que os ligavam à pátria mãe e os ajudariam a proteger o país e os seus concidadãos. Por isso Portugal está abandonado por aqueles que deveriam zelar por ele.

Os oportunistas apoderaram-se dele para seu deleite e abuso.

Um povo cego e confuso graças a anos e anos de treino.

As pessoas foram manipuladas/ treinadas pelos media e pelas campanhas eleitorais para serem fieis e cegos seguidores de partidos, transferindo o dever cívico de lealdade ao país, por uma lealdade cega aos partidos.

Para agravar este triste cenário de eleitores acriticos, temos os eleitores reféns da adrenalina criada pelo suspense de saber quem ganha e quem perde as eleições, são assim levadas a torcer para que o seu voto/clube seja vencedor, numa atitude acrítica e típica do espírito de claque, superficial, histérico, cego e injusto. Não importa quem merece ganhar, quem é melhor para o país, ou quem é mais honesto, ou menos desonesto… interessa é que ganhe o meu partido.

A análise e avaliação responsável do desempenho e da seriedade dos partidos, é assim substituída por uma cegueira acrítica que permite eleger mesmo os mais corruptos descarados.

O voto, que deveria ser uma arma do povo para fazer justiça votando contra os piores e/ou a favor dos melhores e assim moderar o abuso dos políticos, através da punição, da avaliação, da critica e censura que o voto permite, mas o voto passou a ser usado de forma inconsequente, desfasado da realidade e não um reflexo da realidade.

É como se se tratasse de um jogo de futebol, quer o seu clube jogue bem ou mal, o adepto fanático não muda de clube. Isso até é normal… o que não é normal é acharem que ser adepto de futebol é o mesmo que ser eleitor.

É urgente perceber que um eleitor que não pune os maus partidos, equivale a um juiz que se recusa a aplicar a pena a um ladrão ou o professor que se recusa a dar a nota aos alunos.

As decisões do eleitor, ao contrário da dos adeptos do futebol, afectam profundamente os destinos do país, e de todos nós.

A função do eleitor não é fazer ganhar o seu partido, é fazer ganhar os partidos que melhor servirão o país, ou seja, menos corruptos e menos desonestos ao mesmo tempo que fará perder as eleições, aos mais desonestos e aos mais corruptos.

O eleitor português, ao contrário dos eleitores dos países menos corruptos do mundo, ainda não possui literacia e maturidade politica. Ainda vêem os partidos como sendo apenas o seu clube do coração, mesmo que façam batota, roubem, percam ou ganhem, façam asneira ou mintam, têm que ser defendidos pelos seus adeptos, contra tudo e contra todos.

Os poucos que votam em Portugal, fazem-no com o espírito de adepto, deliram por nas eleições sentirem que podem influenciar o “jogo”, para eles o seu voto é um golo, para ajudar o seu clube/ partido, a ganhar o jogo.

E com eleitores bem fidelizados aos partidos e bem treinados como fieis, cegos e acríticos, os partidos perceberam que podiam roubar, mentir, enganar, desgraçar o país e as famílias, que os clubes com mais adeptos, vencerão sempre.

O resultado para todos nós, é desolador, existem muitos países onde a corrupção é quase nula e onde as pessoas vivem bem, mas Portugal tem sido o país do mundo onde a corrupção mais se agravou (entre 2000 e 2010 baixou 10 pontos na Transparência Internacional). Mas as pessoas continuam a não parar para pensar, continuam presas à manipulação.

Ainda achas que não está na hora de acordar? Reagir e lutar por um país melhor?Vais continuar a gritar golo cada vez que um partido corrupto é eleito? Cada vez que um jovem emigra? Cada vez que um idoso morre abandonado e sem dinheiro para se tratar? Cada vez que uma escola e um hospital fecha e abrem mais e mais privados? Vais gritar golo cada vez que noticiarem que o teu partido desviou mais uns milhões a todos nós? Golo cada vez que o teu partido ajudar a salvar um banco? Golo cada vez que um partido corrupto, o teu, ganha o acesso aos milhões dos teus impostos?

Está na hora de fazer justiça. Portugal e os pobres portugueses não pode continuar a ter o seu futuro na mão de eleitores irresponsáveis que raciocinam como adeptos fanáticos de futebol. Vote com justiça, seja responsável, não eleja partidos com rastos de corrupção.

Não deixe que sejam apenas os adeptos cegos a votar… é urgente que todos os portugueses que desperdiçam os votos em nulos, brancos e abstenção, comecem a votar válido contra os partidos mais corruptos, só assim poderemos contrariar e vencer as escolhas irracionais dos eleitores acriticos.

Imagine Portugal sem corrupção. Dinamarca o país mais feliz do mundo.

Comentar este artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *