Enviar ArtigoGostou do nosso site? Então contribua com um artigo!

O ex-adjunto de Costa no Governo declarou licenciatura falsa

Em despacho assinado pelo primeiro-ministro, Rui Roque aparece como licenciado em Engenharia Electrotécnica pela FCTUC, mas, na verdade, nunca acabou o curso e faltam-lhe várias cadeiras.

O adjunto para os Assuntos Regionais do gabinete do primeiro-ministro declarou ser licenciado sem ter completado o curso. No despacho de nomeação assinado por António Costa e publicado em Diário da República, Rui Lizardo Roque é apresentado como “licenciado” e, na nota curricular do mesmo documento, é especificado que a licenciatura é emEngenharia Eletrotécnica e de Computadores pela Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC). No entanto, junto de várias fontes — incluindo académicas — que o adjunto de Costa nunca terminou a licenciatura.

Rui Roque estudou, de facto, Engenharia Eletrotécnica na FCTUC, mas faltam-lhe várias cadeiras para concluir o curso. No ano de 1997/1998, entrou na FCTUC para o curso de Engenharia Física, mas mudou passado um ano para o curso de Engenharia Electrotécnica. O adjunto ganha €3.512,42 brutos segundo o portal do Governo, o que corresponde a €2083,39 líquidos.

Rui Roque poderia ter a possibilidade de tentar uma equivalência utilizando a conversão do seu curso para o regime do Processo de Bolonha. No caso das Engenharias, as universidades (incluindo a de Coimbra) têm mestrados integrados (cinco anos, o exigido pela Ordem), mas ao fim de três anos os alunos ficam com o equivalente a uma licenciatura em Ciências da Engenharia. Mas nem este título Rui Roque terá. Primeiro, porque nunca o solicitou. Segundo, porque lhe faltaria ter aproveitamento em várias cadeiras do plano curricular pré-Bolonha.

Quem é Rui Roque: De “farras” a adjunto de Costa

Rui Pedro Lizardo Roque foi nomeado por António Costa adjunto para os Assuntos Regionais em janeiro de 2016. Tem 37 anos e cresceu na Granja do Ulmeiro (concelho de Soure, distrito de Coimbra), vila onde éautarca eleito pelo PS, como membro da Assembleia de Freguesia.

Rui Roque já era da Juventude Socialista quando ocupou diversos cargos durante a sua vida académica. Foi presidente do Núcleo de Estudantes de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores e coordenador-geral dos Núcleos e Pedagogia da Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra. Dos tempos de faculdade herdou a alcunha de “farras”, como ainda atualmente é conhecido na cidade dos estudantes e mesmo entre dirigentes e militantes socialistas.

Abandonou a vida académica para abraçar a vida profissional, mas nunca exerceu como engenheiro. Entre Março de 2007 e Setembro de 2009, Rui Roque foi operador especializado da Sonae Distribuição e tem trabalhado em diversas empresas: foi sócio-gerente da Roque&Ribeiro (comércio de material ortopédico), consultor da DNZ RSK e sócio-gerente da Rui Roque Unipessoal, Lda.

No PS, Rui Roque pertence à federação distrital de Coimbra e à concelhia de Soure, mas a função mais relevante que ocupou foi a de “homem do terreno” da campanha de António Costa nas legislativas de 2015. Depois disso, em janeiro de 2016, foi então nomeado adjunto do gabinete do primeiro-ministro para os Assuntos Regionais.

Comentar este artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *