Enviar ArtigoGostou do nosso site? Então contribua com um artigo!

Mexia ganha 6 mil euros por dia. 70% das famílias não conseguem aquecer as suas casas.

NOS ÚLTIMOS 5 ANOS, MEXIA GANHOU 10 MILHÕES EUROS! EM PORTUGAL 70% DAS FAMÍLIAS NÃO CONSEGUEM AQUECER AS SUAS CASAS

“Nos últimos 5 anos, Mexia levou para casa cerca de 10 milhões de euros. Este senhor, que ganha 6 mil euros por dia – os seus rendimentos davam para pagar a 3665 trabalhadores portugueses com o ordenado mínimo, teve o desplante de ir para a Assembleia República dizer que a EDP tem sido um abono para o Estado” (…) “Este salário de Mexia é completamente obsceno! Inaceitável”. Comentário de Joana Amaral Dias, este domingo na CMTV.

António Mexia ganha mais de 6 mil euros por dia. Por dia, atenção. E foi este mesma hiena que agora andou a bradar na Assembleia da República que a EDP tem sido um abono de família para o Estado. Que topete repulsivo. Ora bem, a EDP é que tem sido o subsídio vitalício para António Mexia e outros que tais como Eduardo Catroga, Manuel Pinho ou Luís Amado. Para nós, tem sido um calvário.

Enquanto Mexia ganha o equivalente a 3665 trabalhadores portugueses com o ordenado mínimo, Portugal tem das energias mais caras da UE, sendo que, num país europeu do século XXI, 70% das famílias portuguesas não conseguem aquecer as suas casas e, mesmo neste clima, ainda há quem morra de frio.

A EDP foi construída com o esforço e o suor dos portugueses, vendida ao desbarato segundo o Tribunal de Contas para, afinal, continuar a ser estatal. Só que, desta feita, pertença de nações estrangeiras, de Trump e da China que está longe de ser um país democrático. Ou seja, foi assim e desta forma que entregámos em bandeja de ouro um bem estratégico e um monopólio. Para quê? Afinal, para a EDP viver de rendas milionárias que suga ao erário público e os os seus lucros já não entrarem nos nossos cofres mas sim nos bolsos sem fundo de Mexias, chineses e abutres variados. Miséria, Portugal.

Joana Amaral Dias

Comentar este artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *