Enviar ArtigoGostou do nosso site? Então contribua com um artigo!

Galamba amigo de Sócrates recebeu do governo dele 34 mil euros de ajustes directos

Deputado que liderou o blogue, de apoio a José Sócrates, recebeu do Governo verbas pagas através de contratos de serviços por ajuste directo. João Galamba, que em tempo de campanha eleitoral liderou grande parte da informação para os blogues de apoio a Sócrates, recebeu mais de 34 mil euros em dois contratos do Governo, por ajuste directo, entre Março e Agosto de 2009.

As verbas destinavam-se a serviços da Unidade de Missão para os Cuidados Continuados Integrados (UMCCI), entidade onde Galamba foi consultor externo até à data das eleições de 27 de Setembro. Um dos contratos, no valor de 20 814 euros, foi celebrado em 16 de Junho de 2009 e adjudicado a João Galamba pela Administração Central do Sistema de Saúde.

O objecto do contrato refere apenas o item de ‘Serviços para a área financeira para a UMCCI’. Não especifica que tipo de serviços, mas tem fixado um prazo de execução de 180 dias. O contrato foi publicado em Agosto de 2009. Não se conhece o alvo nem os resultados destes serviços. O certo é que, durante o Verão, o consultor financeiro da UMCCI não terá estado muito ocupado com a gestão da Unidade. Além da produção de conteúdos para o Simplex, João Galamba ainda fez campanha eleitoral e gozou férias. Pelo meio ainda teve direito a mais de duas semanas de licença de casamento. João Galamba integra várias comissões parlamentares, embora tenha sido eleito deputado, pela primeira vez em 2009.

Há também um outro contrato semelhante adjudicado em Março de 2009 a João Galamba, também no âmbito da consultoria da UMCCI. Neste caso, são 13 876 euros para comprar serviços especializados para um grupo de trabalho da UMCCI. O prazo de execução foi de 120 dias e o contrato pouco adianta o destino daquela verba. Ao CM João Galamba confirmou as referidas adjudicações, mas não esclareceu quais os objectivos dos contratos. ‘O resultado desse trabalho, que muito me honra, foi vertido para um relatório enviado para o Ministério das Finanças, e integra o Orçamento do Estado de 2010’, referiu na resposta às questões do CM.

AJUSTE DIRECTO Segundo a legislação em vigor, as adjudicações por ajuste directo podem atingir 75 mil euros, para aquisições de bens e serviços.

Comentar este artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *