Enviar ArtigoGostou do nosso site? Então contribua com um artigo!

Família acusa hospital pela perda de bebé

bastonario

José Canelas não esconde a revolta por a mulher, Susana Alpalhão, de 32 anos, ter perdido aquela que seria a primeira filha do casal, às 36 semanas de gestação. Tudo aconteceu no passado dia 11, domingo, quando Susana viu agravar o seu estado de saúde enquanto estava internada no serviço de Obstetrícia do hospital de Évora, que acusa de negligência.

“Ela estava internada devido à gravidez de risco desde dia 7. É diabética, sentiu-se mal e com vómitos e trouxemo-la para Évora. Piorou de dia para dia até domingo, mas sempre me disseram que estava tudo controlado. A bebé estava bem com 37 semanas, pesava 3,850 kg. Podiam ter tirado a menina a tempo”, diz José, residente em Borba, que apresentou uma queixa por escrito no livro de reclamações do Hospital do Espírito Santo de Évora.

“A minha mulher estava com falta de ar, desorientada, a espumar da boca. Naquele serviço não lhe fizeram nada”, acrescenta. Susana assinou o termo de responsabilidade para sair da Obstetrícia e deu entrada no Serviço de Urgência, onde ainda está internada, a recuperar. “No domingo, o CTG detectava batimento cardíaco da bebé. Já na Urgência confirmaram a morte da menina e a minha mulher também podia ter morrido”.

Comentar este artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *