Enviar ArtigoGostou do nosso site? Então contribua com um artigo!

Ex-mulher de José Sócrates tentou negociar confissão com a justiça

Sofia Fava tentou negociar com o Ministério Público. A ex-mulher de José Sócrates prometia falar se o procurador lhe garantisse o ‘perdão’ dos crimes de fraude fiscal e branqueamento de capitais. Rosário Teixeira não aceitou – a delação premiada não existe no nosso País – e lembrou ao advogado que mesmo que Fava não fosse acusada – e o processo fosse suspenso – tal situação poderia ser contestada pelos assistentes ou pelo juiz de instrução.

Nessa altura do processo, em Março deste ano, a prova já era muito consistente. As escutas eram por demais evidentes e muitos testemunhos, como o da ex-cunhada de Sócrates, Tânia Gouveia, não deixavam dúvidas sobre a construção de uma mentira: que a mãe de Sócrates tinha uma fortuna e que Sócrates vivia às suas custas.

Também os testemunhos das ex-namoradas são esclarecedores. Célia Tavares assume que Sócrates lhe entregou cerca de 400 a mil euros por mês e chegou a admitir que “seria burrice não aceitar o dinheiro” de alguém que tinha “essa generosidade”. O antigo primeiro-ministro suportou-lhe desde as propinas da faculdade, até à conta da luz e ao IMI da casa.

Já Sandra Santos, que recebeu quase 100 mil euros ao longo dos anos, invocou estranhos problemas de memória e garantiu que tudo foi um “empréstimo” de Santos Silva. Foi desmentida no depoimento prestado por Lígia Correia, actual namorada de Sócrates, que assumiu que pagou viagens a Sandra e lhe entregou 500 euros . Fez tudo isto a mando do antigo primeiro-ministro.

Comentar este artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *