Enviar ArtigoGostou do nosso site? Então contribua com um artigo!

ESTADO NEGA PENSÃO A CEGA E INCAPACITADA QUE TEM FILHO COM PARALISIA CEREBRAL

Casal de cegos tem três filhos, um dos quais sofre de paralisia cerebral.

A Segurança Social nega dar pensão de invalidez a uma mulher de 34 anos, que tem 10% de visão e incapacidade permanente de 93,4%.

Marta Teixeira tem três filhos menores, um dos quais com paralisia cerebral, e o sustento da casa é o ordenado do marido, que é cego, e 300 euros do abono das crianças. Marta sofre de miopia alta e retinite pigmentar.

Vive em Casal de Cambra (Sintra) e trabalhou um ano como telefonista num supermercado. Teve de deixar o emprego após o nascimento de João, o filho de sete anos, que sofre de paralisia cerebral.

“Durante quatro anos fiquei de baixa por assistência ao filho e a partir daí deixei de receber subsídio”, conta. A família vive do salário de Nuno Fernandes, cego devido a glaucoma: é telefonista e aufere 557 €.

“Gasto muito dinheiro com o João, com fraldas, seringas e medicamentos”, diz Marta.

Ao CM, o Instituto da Segurança Social explica que o pedido de pensão foi indeferido pois Marta “não foi considerada com incapacidade para o exercício da profissão”, mas vai convocá-la para “atualizar o diagnóstico social” da família.

O oftalmologista Eugénio Leite, que tem tratado Marta, considera “intolerável” a decisão de negar a pensão à doente. “Ela tem um campo visual tubular, como se visse por um tubo. Durante o dia vislumbra pouco e à noite não tem visão.”

Comentar este artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *