Enviar ArtigoGostou do nosso site? Então contribua com um artigo!

CDS cerca PCP com fim da isenção de IMI

cds-cerca-pcp-com-fim-da-isencao-de-imi

O CDS quer acabar com as isenções do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para os partidos a partir de Janeiro. A proposta atinge sobretudo o PCP, o partido com maior património imobiliário, avaliado, em 2014, em cerca de 15 milhões de euros. Nesse ano, os comunistas pagaram 29 mil euros de IMI, uma vez que só os prédios afectos à actividade partidária estão isentos.

“Se há mais impostos para os portugueses, não se justifica que os partidos fiquem fora deste esforço”, disse Nuno Magalhães, líder da bancada do CDS, partido cujo património imobiliário (595 mil euros) é 25 vezes inferior ao do PCP. A sede do CDS, em Lisboa, pertence à Igreja, ou seja, ao abrigo da Concordata está isenta de IMI. O CDS paga mil euros mensais de renda e tem que suportar as obras que forem necessárias.

O BE com património de 1,5 milhões defende o fim da isenção e terá também uma proposta própria. Já o PS cujo património ronda os 7,7 milhões está disponível para dialogar, mas João Paulo Correia, avisa que “não cede a demagogias”. A Associação de Municípios pediu, entretanto, ao Governo para rever as últimas alterações ao código de IMI que dão mais peso à exposição solar das casas. “Estamos a trabalhar para o aperfeiçoamento da lei”, diz Manuel Machado, líder da ANMP.

Comentar este artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *