Enviar ArtigoGostou do nosso site? Então contribua com um artigo!

A justiça protege os ladrões. As vítimas que se lixem!

A exemplar justiça portuguesa.

Contabilista/ Burlão rouba clientes, vive principescamente, porque colocou tudo em nome da filha,
e ainda tem a lata de pedir subsidio para o estado lhe pagar as despesas na justiça…

Famalicão- Desviou 1,1 milhões e é ajudado pela Segurança Social.

Um contabilista de Famalicão acusado de desviar 1,158 milhões de euros a 43 clientes, aproveita a ajuda da Segurança Social para pagar as custas do processo, declarando apenas 50 euros anuais de rendimento às Finanças.
Mário Pena, um contabilista de Vila Nova de Famalicão, foi acusado de desviar 1,158 milhões de euros a 43 clientes em 2008 e hoje vive na penúria, (declara ele), assim se foge à justiça.

Roubam milhões e claro escondem-nos.

Em janeiro do ano passado, o homem de 56 anos, que já não tem qualquer bem na sua titularidade, pediu “proteção jurídica” à Segurança Social por não ter meios para pagar as custas dos processos judiciais e conseguiu.

Mesmo sem qualquer imóvel em seu nome, Mário e a mulher, desempregada, vivem numa luxuosa mansão em Famalicão, com casas anexas, campo de ténis e piscina coberta. O Estado nunca conseguiu chegar a esse imóvel porque o contabilista passou tudo para o nome da filha quando rebentou o escândalo do desvio de milhões.

A Segurança Social, mesmo assim, deferiu o pedido de ajuda de Mário Pena, num processo em que este se queixava de coação por parte de um antigo cliente. Em relação ao processo contra si instaurado por abuso de confiança, fraude fiscal, falsificação de documentos e corrupção, o Ministério Público já notificou os 43 clientes para se constituírem assistentes no mesmo.

Portugal está bom é para os fora da lei;
– Burlão continua em liberdade por opção do Ministério Público. Já foi condenado cinco vezes por burlas mas nunca chegou a cumprir pena de prisão. Há um mês, uma nova acusação também não lhe tirou a liberdade.
– Rui Trovão usou 800 mil euros de clientes, para pagar as suas próprias dividas. Roubou 800 mil e foi condenado a pagar 40 mil… a margem de lucro foi bem positiva para o criminoso, ganhou 760 mil euros
– Mais um espertalhão: Um funcionário do Instituto de Emprego de Vila Real, arranjava subsídios para falsos empresários que simulavam a criação de uma empresa e respectiva criação de postos de trabalho. Os supostos empresários, davam luvas ao funcionário do IEFP, para ele angariar subsídios e não revelar a burla. No total, os delitos lesaram o Estado em 5,2 milhões de euros.
– Doze funcionárias do Hospital de São João, no Porto, receberam comparticipação da ADSE por tratamentos dermatológicos, mas afinal iam à depilação. Burla já ia em mais de 5 mil euros.
– Desfalque de 38 mil euros na Gebalis, dá multas de 16 mil? E penas a “fingir”? O crime compensa.
– A Câmara da Covilhã foi notificada, em Fevereiro, para pagar 714 mil 801 euros ao Programa de Desenvolvimento Rural – PRODER por valores disponibilizados, e nunca aplicados, para a electrificação e beneficiação de caminhos agrícolas.
– Multa de 7 mil euros por prejuízos de 545 milhões de euros, dos portugueses. Justiça?!!??
– “O sistema de Justiça português absolveu o empresário Rodrigues Névoa, apesar de se ter provado que tentou subornar o vereador da Câmara de Lisboa Sá Fernandes. Para que este mudasse a sua posição e facilitasse uma negociata imobiliária, Névoa estaria disposto a pagar luvas de 200 mil euros.

Um homem de 32 anos suspeito da autoria de vários furtos nos concelhos de Braga e Vila Verde foi detido duas vezes no mesmo dia pela GNR, mas continua em liberdade, informou hoje aquela força. Em comunicado, a GNR explica que o homem foi detido na madrugada de sexta-feira, em Braga, conjuntamente com um adolescente de 16 anos que o acompanhava. Na operação, foram recuperados uma máquina registadora e um veículo automóvel furtados.

1 Comentário

Comentar este artigo

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *